Menu do Blog
Era uma vez nos encontros na internet

Arquivos

 

Relacionamentos

Tenho a senha do meu namorado. E agora?

A melhor coisa que você pode fazer é ser honesta e se abrir em relação aos seus problemas. Conversar, fazer as perguntas que deseja fazer e tirar suas dúvidas é sempre o melhor remédio. Seu relacionamento se beneficiará dessa honestidade. E é melhor fazer isso do que ficar quieta e deixar os problemas destruírem seu relacionamento. Ao invés de recorrer à desconfiança e “espionagem”, a sinceridade é sempre a melhor saída.
Ontem uma amiga minha veio me visitar. Ela estava animada, mas de um jeito diferente. Parecia agitada, como se estivesse fazendo algo proibido. Ela pediu para usar meu computador. Eu concordei. Depois de entrar na página do Facebook e sair do meu perfil, ela disse, com uma voz que era um misto de animação e medo, que tinha conseguido a senha do namorado.
“Não tenho coragem de fazer isso sozinha”. Ela disse. Ela queria minha ajuda para fazer aquilo, pois sabia que estava entrando em território proibido. Antes que ela digitasse a senha, segurei a mão dela a perguntei se ela tinha certeza do que estava fazendo. Fazer isso sem o consentimento do namorado dela era uma quebra de confiança.
“Mas se ele não tem nada a esconder, por que ficaria chateado de eu olhar?”. Ela quase gritou e chorou ao mesmo tempo. Antes que ela continuasse com o que queria fazer, eu pedi que ela conversasse comigo e me ouvisse. Se mesmo depois de conversarmos ela decidisse olhar, tudo bem. Seria decisão dela e ela arcaria com as consequências. Resolvi organizar o conteúdo de nossa conversa neste artigo, pois acho que é um assunto que interessa a todos nós.
Vamos pensar em uma situação hipotética e até menos dramática que a da minha amiga:
Um namorado inocentemente dá para a namorada a senha do e-mail dele para que ela possa verificar algo para ele porque ele não pode consegue usar um computador naquele momento. É algo urgente. Ele precisa verificar naquele momento. Ele não se preocupa em mudar a senha depois, lógico, e a namorada não esquece a senha do namorado.
Vamos avançar um pouco para o futuro, ok? Em algum momento no futuro, ela tem uma pequena suspeita de que ele esteja flertando com outra garota. Então qual é a primeira coisa que ela faz?
Verifica o e-mail dele, é claro.
Ela pode até tentar a mesma senha em algumas de suas outras contas on-line, como Facebook, por exemplo. Ela não consegue encontrar nada, mas como já começou a bisbilhotar, passa a verificar habitualmente o e-mail e Facebook dele e fica obsessiva. Viciada mesmo.
Ela sabe que está errada, mas não consegue evitar de usar isso como uma "vantagem" para ficar de olho no namorado.
Se o namorado descobrisse, ela sabe que sentiria muita vergonha e que isso provavelmente ameaçaria o relacionamento deles, mas ela não consegue deixar de se sentir tentada a verificar o e-mail e Facebook dele. Ela imagina que, enquanto ele não souber, o relacionamento deles está “a salvo”.
Ela deveria realmente estar nessa relação se não consegue confiar no namorado dela?
A história que contei acima acontece o tempo todo.
Desde que comecei a escrever neste blog, recebo e-mails de diversas pessoas e acabo fornecendo conselhos sobre relacionamentos a longa distância e outros assuntos. Portanto, também já recebi perguntas sobre esse assunto em particular.
A maioria das pessoas que acabam bisbilhotando a intimidade de seus parceiros são pessoas boas que adquiriram a senha do namorado/namorada inocentemente. Se seu namorado já lhe deu a senha dele, talvez você não se sinta tentada a voltar e ler os e-mails dele ou a acessar o Facebook dele? Mesmo que você não tivesse motivos para se sentir desconfiada? Para a maioria das pessoas que bisbilhotam habitualmente, quando elas começam, não conseguem mais parar. É como um vício.
É por isso que aconselho as pessoas a não compartilharem suas senhas com ninguém, nem mesmo com namorado, marido ou seja lá quem for.
Mas e se, bisbilhotando, você deu de cara com algo que indica que seu namorado não é sincero, ou está falando com alguém que não deveria, ou, pior, está te traindo?
Meu conselho é: fale a verdade para ele.
Se você encontrou evidências de que ele realmente está fazendo algo de errado, deixe ele saber que você sabe o que está acontecendo, em vez de manter o silêncio para evitar admitir que você também errou ao bisbilhotar as coisas dele.
Seu relacionamento tem problemas: você é desconfiada e ele é desonesto. Tudo já está uma droga mesmo. O mínimo que você pode fazer é colocar tudo em pratos limpos para vislumbrar alguma esperança de conseguir salvar seu relacionamento (se você quiser, é claro).
Vocês dois fizeram algo errado e agora é a chance de fazer a coisa certa e recomeçar.

Quer sair do vício de bisbilhotar seu namorado?

Mesmo que você não tenha admitido que está xeretando as coisas dele, você deve largar esse vício.
Entretanto, pode ser difícil parar, porque você ainda sabe a senha do seu namorado. Especialmente se surgir algo que a faça agir por impulso.
Se você está fazendo isso, você tem problemas de confiança e agora é o melhor momento para aprender a confiar novamente.
Como acontece com qualquer vício, a única maneira de começar a superá-lo é remover a fonte da tentação. Faça isso o mais rápido possível. Você precisa contar a ele o que está acontecendo para que ele possa mudar as senhas e livrar você dessa tentação.
Enquanto você souber a senha, a tentação sempre estará ali.
Se eles não tiver nada a esconder, ele não ficará chateado por muito tempo. Talvez a sua falta de confiança o magoe um pouco, mas nada que o sentimento dele por você não consiga superar. E como ele a ama, ele vai querer que você possa confiar nele e estará interessado em trabalhar com você seus problemas de confiança.

Ainda não começou a bisbilhotar? Pense duas vezes

Se você nunca fez nada disso e está lendo esse artigo porque está cogitando a ideia, ou tentando justifica-la, a resposta é um óbvio NÃO FAÇA ISSO.
Se você está procurando encontrar alguma coisa – se tem suspeitas de traição ou algo do tipo – então a única maneira correta de lidar com a situação é simplesmente PERGUNTAR.
Bisbilhotar a intimidade dos outros, mesmo que essa pessoa seja seu parceiro, é um sintoma de um relacionamento com problemas de comunicação e confiança.
Quando recebo e-mails e mensagens pedindo conselhos sobre relacionamentos (principalmente relacionamentos à distância), a maioria dos problemas está sempre relacionada à comunicação deficiente.
Os casais tendem a evitar falar sobre suas preocupações individuais porque têm medo de que isso abale as estruturas do relacionamento: eles têm medo de fazer as perguntas que assombram seus pensamentos Por exemplo: "Você está me traindo?”.
Essas pessoas recorrem a espionar o parceiro para descobrir a verdade, mas o quão boa é essa evidência se você não pode usá-la contra seu parceiro, porque você não quer que ele saiba que você fez isso escondida dele? Isso faz algum sentido? Pagar uma trapaça com outra? E se você tem vergonha de admitir que está fazendo isso, é porque, no fundo, sabe que é errado.
Em vez de bisbilhotar e causar mais desconfiança, seguem algumas sugestões do que fazer:

Fale sobre seus medos

Seja direta e compartilhe com ele que você tem sentido uma certa insegurança e desconfiança. Se possível, seja honesta e fale abertamente sobre sua vulnerabilidade. Algo como: "Quando você não voltou para casa no horário que disse que voltaria, fiquei com medo. Você pode me dizer onde você estava e por que você chegou tão atrasado?". Fale isso de boa. Compartilhe o que você está sentindo.
Você provavelmente tem medo de que haja alguém em quem ele esteja interessado. Fale com o seu parceiro sobre esses medos. Isso dará a ambos a oportunidade de falar sobre insegurança no relacionamento. Se você bisbilhotar as coisas dele, estará apenas construindo mais desconfiança. Fazer isso só piora as coisas.
E se no passado já houve alguma traição, é justo perguntar se você pode ter acesso a informações compartilhadas entre vocês, como meio de reconstruir a confiança. Se você tiver permissão aberta para checar o celular, computador e rede social de seu parceiro, isso pode irá diminuir ou eliminar seu desejo de bisbilhotar, porque não haverá segredos entre vocês.

Procure construir confiança

Se você se pegar bisbilhotando as coisas dele, saiba que há problemas de confiança em seu relacionamento. Se você encontrou alguma coisa e não consegui conversar sobre isso, seu relacionamento provavelmente não continuará muito seguro. É importante para o fortalecimento da sua relação que você converse abertamente com seu parceiro sobre essas inseguranças. Se isso parecer algo muito difícil de fazer, buscar a ajuda de um profissional pode ser uma boa maneira de recuperar a confiança.

Desacelere

Às vezes, bisbilhotar pode se tornar um hábito. Se surgir em você o desejo de fazer isso quando seu parceiro não está por perto, desacelere. Pense um pouco antes de fazer isso. Pode ser útil se perguntar se você tem motivos para se preocupar. Lembre-se de que é melhor ser direta com seu parceiro. Sim, você pode estar morrendo de curiosidade e extremamente desconfiada, mas provavelmente é uma boa ideia verificar pensar bem e decidir se está sentindo esses sentimentos por um bom motivo. Se você puder, compartilhe a sua segurança, nem que seja com uma amiga, em vez de prosseguir.

Mude o seu comportamento

Para mudar seus hábitos, você precisar evitar a tentação e as situações que são propícias a esse mau comportamento. Se o seu hábito é verificar o e-mail ou Facebook dele, talvez seja necessário você ser honesta e contar o que está fazendo.
Tenha uma conversa honesta consigo mesma. Você é próxima do seu parceiro? Em caso afirmativo, por que xeretar as coisas dele então? Você pode estar criando um mau hábito. Se for esse o caso, talvez seja necessário criar novos hábitos. Por exemplo, afaste-se do celular dele. Peça para que ele mude a senha para que você não fique tentada a praticar comportamentos que estraguem a confiança que vocês construíram. Confiança é uma questão de integridade, tanto sua quanto do seu parceiro.
Apesar das dificuldades, há sempre a possibilidade de resolução dos problemas quando um casal deseja permanecer junto, disposto a perdoar os erros um do outro, e quer avançar de maneira mais amorosa e harmoniosa.
E por que bisbilhotar é algo que nunca dá certo? Mesmo quando há alguma desconfiança de infidelidade?
Porque isso envolve invadir a privacidade de alguém e violar sua confiança. Os seres humanos são territoriais. Queremos nosso próprio espaço. Quando alguém tira o que é nosso, geralmente não reagimos de forma positiva, entrando em um modo defensivo.
Este fato é uma das razões mais fortes pelas quais você não deve bisbilhotar. Pense nisso: é uma causa inútil tentar obter informações dessa forma, porque no momento em que você apresentar a "evidência" ao seu parceiro, ele perceberá que houve uma violação da privacidade dele e reagirá de forma defensiva. Você não faria a mesma coisa?
Por outro lado, se você suspeitar de alguma coisa, seria melhor sugerir ter uma conversa aberta e honesta com seu parceiro. Aqui estão algumas dicas para tornar essa discussão o menos estranha possível:
  • Escolha um lugar seguro e aconchegante, que você goste;
  • Escolha um momento em que ambos estão tranquilos o suficiente para ter uma conversa aberta e honesta;
  • Comece expressando preocupações e medos, e explicando por que você se sente desse jeito;
  • Indique que sua intenção é apenas deixar as coisas claras. Você não está acusando ninguém de nada;
  • Seja específico sobre quais comportamentos de seu parceiro fizeram você se sentir nervoso ou suspeito
  • Dê um tempo para realmente ouvir o que o seu parceiro tem a dizer;
  • Reflita sobre o que você ouviu e entendeu, de modo a evitar confusão e má interpretação;
  • É extremamente importante manter uma posição calma e um tom de voz tranquilo para que ambos não se coloquem em posição defensiva.
A dor emocional não é fatal. Ela diminuirá eventualmente, mas você precisa enfrenta-la. Converse com seu terapeuta para explorar as várias maneiras pelas quais você pode avançar. Já vi muitas histórias de casais que decidiram ficar juntos, mesmo depois da infidelidade. Eles buscaram aconselhamento para casais, trabalharam arduamente para reconstruir a confiança e exploraram outras formas de se relacionar. Não seja fatalista se você encontrar evidências de infidelidade.
Tendo dito tudo isso, há esperança nas circunstâncias mais difíceis da vida. E quando tudo parece incontrolável e insuportável, saiba que às vezes você pode se beneficiar verdadeiramente de bom aconselhamento e bom senso.
E sobre a minha amiga? Ela saiu da minha casa sem abrir o Facebook do namorado. Ela parecia mais tranquila e disposta a conversar com ele sobre isso. Se ela caiu ou não na tentação mais tarde, não sei dizer, mas sei que fiz tudo o que pude para ajudá-la.