Menu do Blog
Era uma vez nos encontros na internet

Arquivos

 

Relacionamentos

O cavalheirismo não morreu

Primeiramente, gostaria de pedir desculpas por ficar tanto tempo sem postar. É que o Aaron voltou para o país dele e eu estava “curtindo a minha fossa”. Já tinha me acostumado tanto com a presença dele que agora sinto um vazio estranho. Podem me chamar de antiquada, mas é verdade. Mas enfim, vamos seguir em frente. Eu e ele ainda nos falamos na internet e eu ainda tenho muito o que falar sobre minha experiência de ter ele aqui do meu lado esse tempo todo.
Gostaria de falar de uma coisa que eu reparei no comportamento do Aaron. Reparei que ele sempre foi um cavalheiro. Não sei se é por causa da nacionalidade ou da personalidade dele, mas ele sempre fazia pequenos gestos de cavalheirismo para mim, e isso me surpreendeu, porque é algo que não vejo sempre.
Todos nós já ouvimos de nossos pais, avós, tias, tios e outras pessoas de gerações anteriores que o cavalheirismo morreu e que as coisas já não são como antigamente. O cavalheirismo é definido como "a combinação de qualidades esperadas de um cavaleiro ideal, especialmente coragem, honra, cortesia, justiça e prontidão para ajudar os fracos". No entanto, quando a maioria das pessoas pensa no termo “cavalheirismo”, o definiriam como um comportamento cortês que os homens mostram diante das mulheres durante o processo de namoro.

O cavalheirismo é uma prática em extinção?

Como uma jovem mulher da atual geração, tenho minhas próprias crenças sobre o namoro e o cavalheirismo, e elas parecem ser bastante consistente com outras mulheres. Cavalheirismo não é comum entre a nossa geração. No entanto, existem alguns homens jovens que têm essa prática. Muitas vezes, quando você encontra um jovem que é cavalheiresco por conta própria, pode ser até uma surpresa. Mas isso não quer dizer que os homens de nossa geração são rudes como um todo, mas que certamente houve uma ligeira mudança na ideia do que os homens e mulheres pensam que é respeitável quando se trata de namoro ou nossas interações uns com os outros.

Isso também pode ser culpa das próprias mulheres

Algumas mulheres não esperam um comportamento cavalheiresco porque pensam que isso é sexista. Elas pensam que é ser condescendente e sexista. E vários caras concordam com isso, dizendo que colocar as expectativas nos homens de que eles sejam automaticamente cavalheiros é injusto. Muitos homens pensam que definir esses requisitos é realmente sexista e unilateral.

É uma questão de ambas as partes não se sentirem ofendidas com o gesto

Portanto, enquanto eu não acredito que o cavalheirismo está completamente morto, muitas pessoas discordariam com isso. Depende de ambas as partes, mas não acho que esteja morto. A ideia de cavalheirismo certamente evoluiu entre gerações. Eu acho que, de uma forma ou de outra, essas coisas foram reduzidas por questões de equidade de gênero. Os homens não têm mais esse instinto de ajudar uma mulher, em comparação com a forma como eles faziam algumas décadas atrás. Então eu definitivamente acho que o conceito evoluiu, mas vemos o cavalheirismo de uma forma diferente. Por exemplo, na geração do meu avô, eles eram extremamente conscientes de serem respeitosos, ao levarem uma mulher em um encontro, conhecendo seus pais e coisas do tipo. Eles eram mais cuidadosos em fazer tudo em etapas. Acho que atualmente é diferente porque vivemos em um ritmo mais acelerado, mas não isso não quer dizer que o cavalheirismo não exista mais. Ele apenas está mais moderno.

Cavalheirismo vem de dentro

Acho que não devemos exigir nada de ninguém além de respeito. Muitos homens querem ser cavalheiros com suas companheiras simplesmente porque querem fazer algo agradável para elas, lhes dar um carrinho. E não acho que devemos nos sentir ofendidas por isso. O cavalheirismo não é algo também exclusivo do sexo masculino. Também podemos ser “cavalheiras” com nossos companheiros. De novo, repito, é tudo uma questão de respeito mútuo.
" Cavalheirismo não significa ser um príncipe encantado ou andar bem vestido, mas ser um verdadeiro cavalheiro por dentro”.